22/07/2020

Associações de raças formam o Instituto Brasileiro de Equideocultura

Criação do IBEqui é o destaque da nova edição da Revista Horse, que começa a circular nesta semana em versões digital e impressa, em todo território nacional

 A nova edição da Revista Horse, que começa a circular em todo território nacional nesta semana, nas versões digital e impressa, traz como destaque de capa a formação do novo Instituto Brasileiro de Equideocultura (IBEqui), entidade que une associações de criadores e entidades envolvidas na cadeia produtiva da equideocultura brasileira. Já em fase bastante adiantada de formatação, a nova entidade foi incentivada pela série de debates promovida pela Revista Horse, no “Horse Debates Equestres”, e começou a ser costurada em uma reunião no dia 9 de julho. Na próxima quinta-feira, 23/7, uma nova reunião deverá definir o processo final de formalização, já com estatuto e objetivos definidos.   

                De início, o IBEqui irá congregar cerca de 30 entidades, entre associações de raças e outras instituições do segmento equestre, o que representa aproximadamente mais de 100 mil associados. A proposta é agregar outras entidades da equideocultura nacional, com o objetivo de obter o máximo de representatividade para discutir temas que envolvem todo o setor, entre eles as questões das barreiras sanitárias do Mormo, bem-estar animal e redução da tributação nos negócios com animais, já em vista à Reforma Tributária que deve entrar em pauta em breve no Congresso Nacional.

                A formação da nossa instituição nasceu durante uma reunião virtual com representante de associações de raças, promovida pela da Associação Brasileira do Cavalo Quarto de Milha (ABQM), em 9 de julho, como objetivo de definir um protocolo único de medidas sanitárias para a retomada dos eventos equestres no estado de São Paulo (Veja box). Na ocasião, o assunto da “união das raças”, discutido em todas as rodadas da série “Horse Debates Equestres” entrou em pauta e houve consenso na formação de uma nova entidade.



Leia mais sobre esse assunto em https://www.revistahorse.com.br/

06/01/2020

ONG Passo Amigo

A ONG Passo Amigo, é uma organização sem fins lucrativos, que atende através do serviço de Equoterapia, pessoas com necessidades específicas, dificuldades escolares, problemas emocionais, entre outros. Possui registro na Associação Nacional de Equoterapia e no COMDICA de Vacaria.

Foi fundada em 29 de Setembro de 2010. Localiza-se no município de Vacaria, no Parque dos Rodeios Nicanor Kramer da Luz, em parceria com Associação Rural de Vacaria, a qual cede o espaço para realização dos atendimentos.

Segundo a Associação Brasileira de Equoterapia, a qual a ONG é filiada, essa atividade é um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação.

Esse método é reconhecido no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina desde 1997, sendo que o praticante só poderá freqüentar a Equoterapia mediante apresentação de laudo médico.

 As atividades integrantes na Equoterapia exigem a participarão do corpo inteiro, trabalhando e desenvolvendo a coordenação motora, a postura, o ritmo, o equilíbrio, a flexibilidade, o tônus muscular, entre outros, de forma extremamente descontraída e prazerosa.

Possui uma equipe interdisciplinar, a qual visa a reabilitação e habilitação dos praticantes,  bem como apoio a seus familiares, tendo o cavalo como agente facilitador deste processo.

A entidade se mantém através de doações da comunidade, e eventuais verbas recebidas de projetos, eventos, rifas, almoços, chás beneficentes, entre outros. Dessa forma, faz-se necessário que estejamos sempre em busca de novos recursos para que esse trabalho tenha continuidade e os beneficiados não deixem de ser atendidos. 

Você está convidado para visitar e conhecer o trabalho que a ONG Passo Amigo realiza.

Atendimento no Parque Nicanor Kramer da Luz - Vacaria/RS
E-mail: passo.amigo@yahoo.com.br
Telefones: (54) 3232-4713


ONG Santuário Filhos de Shanti

Shanti, resgatada de maus-tratos e exploração
Traz em seu ventre Samadhi e em sua alma a luta pela liberdade de todos os seus iguais.
Filhos de Shanti significa que somos todos seres que desejam a liberdade.
Estamos no ventre de Shanti.
Queremos nascer livres...
Em nossas escolhas
De acordo com nossa identidade cultural.
Ser livre implica em permitir que o outro seja livre
E assim lutar pela libertação de todos.
Os animais acolhidos nesse espaço são resgatados
Cada um com sua história triste
Que, com a prática da compaixão
Conseguiram diluir a dor
E ascender no Amor.
Sejam bem-vindos!
De onde vier, venham em paz.
De onde vier, recebam paz
Aqui nutriremos nossa alma com ternura e aconchego...
Ahimsa.
Que sejamos atos!
Que sejamos gratos.


Contato: 12-996413053
Acesse facebook


Santuário dos Cavalos – Abraço Animal

Santuário dos Cavalos – Abraço Animal fica na cidade de Mairiporã-SP, na zona rural, e conta com 5 alqueires de pasto para os animais acolhidos. Tem a capacidade de abrigar de uma só vez até 20 animais, que serão reabilitados e tratados física e espiritualmente, para que possam ser encaminhados a lares onde ficarão livres da exploração humana.
Todos os 6 cavalos que estão no Santuário vivem livres no pasto. Foram resgatados vítimas de maus tratos, como foi o caso do cavalo com nome de Senhor Love. Ele sofreu 20 anos de exploração em carroças, o que lhe custou problemas graves em suas patas anteriores e posteriores, dores nas articulações e na coluna e um olho cego.
“Ninguém sabe o que o Sr. Love passou. Quando chegou, não podia ver um saco de lixo que ia direto fuçar achando que tinha comida. Mas mesmo com toda a exploração e sofrimento que vivenciou, ele é extremamente gentil e dócil. Não perdeu a confiança nas mãos que fazem carinho e dorme quando aplico Reiki”, diz Karina Somaggio – presidente da ONG e do Santuário.
O Santuário abriga, ainda, vinte e um cães, uma porca, e vários patos que nadam livres no imenso lago.
Se você quer ajudar nesta missão e ama cavalos e animais, veja abaixo como pode colaborar:
– Apadrinhando um dos cavalos mensalmente.
– Doando qualquer quantia para ajudar:
Banco Bradesco
Ag. 510-0
C.c. 52079-9
Fernanda Karina Ramos Somaggio
Para mais informações ligue: (11) 99243-7254
Facebook: Karina Somaggio

19/12/2019

ONG Cavalo de Lata

A ONG Cavalo de Lata é uma Organização não governamental que faz, entre outras ações, o encaminhamento de carroceiros independentes ao mercado de trabalho e liberta os cavalos e mulas do sistema de tração. 
Os animais que ficam sob nossa responsabilidade após os resgates, na sua grande maioria, tem graves sequelas causadas pelo trabalho excessivo e de maneira incorreta e até mesmo de maus-tratos de fato. Anêmicos, com tumores, artrose, dores musculares, mal casqueados, doenças de pele, doenças respiratórias, entre tantas outras... Essas doenças se agravam pela baixa imunidade e alto grau de desnutrição que esses animais chegam até nós. E não conseguimos repor da noite para o dia o que a vida inteira de excessos lhes tirou. É um processo lento, mas efetivo. Animais velhos, com problemas nos dentes, cascos rachados e todos os tipos de machucados, por necessitarem de cuidados veterinários e medicamentos constantemente, acabam ficando com a gente, em segurança. Sob nossos cuidados, garantimos uma aposentadoria com muito carinho, respeito e amor. 

Se você quiser conhecer mais detalhes da nossa rotina, acesso nossa página no Facebook e acompanhe a nossa jornada. 
Seja bem vindo! 



ONG Chicote Nunca Mais

Um grupo de malucos que tentam mudar o mundo, por esses motivos:

Nas grandes cidades há uma  crença que cavalo pode andar no trânsito, porém é preciso  acabar com essa invisibilidade.  Você sabia que não existe um lugar mais insalubre do que este para esses animais?
São várias razões, por exemplo, a ferradura é forjada em metal. O asfalto nos dias de calor chega a 70º centígrados, o atrito do metal esquenta os cascos de forma inimaginável. A encilha comprime o diafragma deixando o animal com respiração costal. As rodas são muito baixas e impõem duas forças, uma para frente para puxar e outra para baixo para sustentar o peso da carroça. No Uruguai as rodas são altas e o encilha prende nos ombros, o que dá conforto ao animal. A alimentação é pobre em nutrientes por isso o escorre corporal é baixo. Todos os cavalos que recebemos na Chicote são portadores de DPOC, (doença pulmonar obstrutiva crônica). Na época de calor eles têm controle medicamentoso para esta sequela.

Outros problemas como artrite e artrose, são consequência da colocação precoce na tração. Um cavalo se torna adulto por volta dos três anos e meio, quando são consolidados  os discos de crescimento. Aí o animal é  adulto. Cavalo é um bicho grande, por isso e colocado na tração com idade inadequada.
Qualquer outro ser, que fosse submetido a esse sofrimento ia uivar, emitir som de dor ou sofrimento.  Causaria horror a população! Haveria protestos, passeatas e manifestações contra os maus tratos. Um cavalo apanha ou sofre qualquer outra violência até morrer  sem emitir um único som. Eles  só relincham de alegria ou para se comunicar com outro cavalo. Esse é o motivo  pelo qual esse pobre animal passa invisível.  Seu sofrimento ninguém vê por falta de informações, as pessoas têm no imaginário que o sofrimento é explícito e no caso dele não é !
Na Lei dos Ambientais (9605/98), foi vetado o artigo onde o Estado era  o TUTOR  dos animais no território nacional. Hoje a  Lei coloca o Estado com a  responsabilidade de apenas PRESERVAR, numa atitude clara de omissão de responsabilidade. 

No intuito de acolher esses magníficos animais, que a ONG Chicote Nunca Mais, foi fundada.

Hoje, somos muitas pessoas lutando para acabar com sofrimento.

Temos alguns veterinários de coração valente, que tiveram um olhar amoroso para esses animais. Amigos nos auxiliam financeiramente, outros tutelam , compram nossos produtos, apadrinham os pocotós, doam de seu suor no trabalho de campo, divulgam o trabalho, tudo  isto para dar dignidade aos que estão no santuário. 
Fora deste lugar de Paz e de amor, ainda há muitos animais sofrendo.
O que mais emociona é que eles só relincham de felicidade.
No santuário da Chicote há um coro no ar de muitos relinchos!

Eles precisam de seu apoio.

Junte-se a nós!

Fair Soares –presidente  da Chicote Nunca Mais

Clique aqui e saiba mais!



Notícias no Twitter

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *