Equinos App

1 2 3 4 5

WEG - Jogos Equestres Mundiais

WEG - Jogos Equestres Mundiais

Participação Brasileira nos Jogos Equestres Mundiais

1990 – Estocolmo – Suécia 
Salto - Classificada em 8º lugar, a equipe foi formada por Nelson Pessoa com Vivaldi, Rodrigo Pessoa montando Special Envoy, André Johannpeter com Heartbraker Joter e Vitor AlvesTeixeira e Zurkis. O melhor resultado no individual foi o 12º lugar de Vitor Teixeira.

O Brasil volta ao cenário internacional do CCE depois de 42 anos. Serguei (Guega) Fofanoff é o único sul-americano na estréia na primeira edição dos Jogos Equestres Mundiais.

1994 – Haia – Holanda 
Salto - Na pista, Neco Pessoa/Chouman e o filho Rodrigo Pessoa/Special Envoy por pouco não dividiram o pódio por equipe que ficou com a 4ª colocação e contou, ainda, com André Johannpeter montando Calei Joter e Luciana Diniz com Graf Grande. No individual o melhor resultado foi o 5º lugar de Neco.

Enduro - O Brasil estréia no Campeonato Mundial (5ª edição) realizada conjuntamente a 2ª edição dos Jogos Equestres Mundiais em The Hague, Holanda.

CCE - Com apoio e torcida organizada o Brasil foi representado por Serguei (Guega) Fofanoff, Almir Antonio Lustosa Vieira e o Sargento Tirço Porcina.


1998 - Roma  - Itália
Salto - A trajetória vitoriosa de Rodrigo Pessoa passa pelo WEG de 1998 quando o cavaleiro conquistou no individual a medalha de Ouro montando Gandini Lianos. Era a segunda vez que Rodrigo competia ao lado do pai, com Neco montando Baloubet du Rouet, cavalo que faria sucesso sob comando de Rodrigo nos anos seguintes. A equipe que ficou em 5º lugar conto também com André Johannpeter/Calei Joter e Álvaro (Doda) de Miranda Neto/Arisco Aspen.

CCE - O Brasil é 8º por equipe

O time brasileiro é formado pelos irmãos Paro: André montando Fantoche e Carlos com CDC Baron, Marcelo Tosi/Xilena, Márcio Jorge/Arabesco.


2002 – Jerez de La Frontera – Espanha
Salto - O Brasil não fez uma boa campanha e acabou em 9º lugar com o time formado por Rodrigo Pessoa montando Baloubet du Rouet, Bernardo Alves com Oberon, Álvaro (Doda) Afonso de Miranda Neto com Audi San Diego e Celso Ariane montando Quinta. Rodrigo acabou ficando fora da final por um ponto e acabou na 26ª colocação na disputa Individual.

Rédeas - Na estréia da modalidade nos Jogos Equestres Mundiais em Jerez de La Frontera, Espanha, a equipe brasileira ficou em 6º lugar. Fizeram parte do time: Alexandre Lhamas Ramos montando Pocodo Andy, Franco Bertolani com Country Dun It, Gilson Diniz Filho montando Jungle Doc e Renata Ricci com Identic Smarvel YN. Na disputa Individual o melhor resultado do Brasil foi o 9º lugar de Alexandre Ramos.

CCE - Sem cavaleiro reserva e com a eliminação do cavalo CDC Baron, montaria de Carlos Eduardo Paro por não ter alcançado o índice no período que antecedia 3 anos antes, o técnico Ademir de Oliveira viu seu time amargar a última colocação com Vicente Araujo/Tevere (72º lugar), Eder Pagoto/Amazonian do Feroletto (78º) e Sérgio Neves/LF Lady (79º).

Volteio - A equipe Sênior conquistou a 9ª colocação. No individual, Flávia Themudo Guida conquistou o 9º posto, melhor classificação brasileira nos Jogos.


2006 – Aachen – Alemanha
Salto - O Brasil sofreu uma a baixa do seu principal conjunto dois dias antes do início da competição. Baloubet du Rouet apresentou uma inflamação no menisco e Rodrigo não teve outra opção a não ser desistir de competir. O time formado por Bernardo Alves/Canturo, Cássio Rivetti/Olona e Álvaro (Doda) Afonso de Miranda neto/Nike terminaram em 10º lugar. O melhor resultado individual foi de Bernardo Alves/Canturo (13º).

Rédeas  – Nos Jogos Equestres Mundiais de Aachen, Alemanha, Demetrius Jean Kotrozinis montando Dunits Kickin Ace foi o vencedor da competição na disputa com 81 conjuntos de 22 países. O resultado garantiu ao brasileiro a liderança temporária do Ranking da FEI, onde terminaria em 2º lugar na temporada. Classificada em 8º lugar em Jerez, a equipe brasileira foi formada por Rogério Barral montando Whiz me Luck, Demetrius Jean Kotrozinis com Dunits Kickin Ace, Paulo Koury Neto com Texas Playboy e João Felipe Lacerda montando Little Man Olena. Classificado em 11º lugar, João Felipe obteve a melhor colocação brasileira no Individual.

Volteio - A equipe Sênior conquistou a 8ª colocação nos Jogos Equestres Mundiais em Aachen, Alemanha.

CCE - O Brasil é representado por Carlos Eduardo Paro que montando Political Mandate termina em 40º lugar.


2010 – Kentucky, Estados Unidos

O Adestramento Paraequestre passa a integrar as modalidades dos Jogos Equestres Mundiais a partir da 6ª edição, em Kentucky, Estados Unidos. O Brasil competirá com equipe. O resultado do Adestramento Paraequestre será qualificatória para as Paraolimpíadas de Londres 2012.

O Brasil levou equipes para competir em todas as modalidades, à exceção da Atrelagem.

No Enduro, a primeira modalidade a ter as competições iniciadas,o Brasil obteve a 5ª colocação por equipes e o cavaleiro André Vidiz, montando Nuit Endurance, completou a competição no 13º posto, dentre 108 conjuntos. Foi o melhor resultado do país na história da competição. Além das conquistas por equipe e individuais, o Brasil se destacou por ter sido o único país a completar a prova com todos os conjuntos.

Na modalidade Rédeas, o Brasil obteve a 7ª colocação por equipes e Wellington Teixeira com SJ Rodopio obtiveram a 14ª colocação pela competição individual, de um total de 21 finalistas.

O Volteio obteve uma inédita 6ª colocação entre 12 países participantes, melhor resultado nacional em todos os Mundiais.

No CCE, a Inglaterra venceu a competição por equipes e a equipe de CCE obteve a 12ª colocação. Já no Adestramento,competição vencida pela Holanda, a equipe brasileira terminou na 14ª e última colocação. Entretanto, na disputa individual, Luiza Tavares de Almeida obteve a 55ª posição dentre 67 conjuntos, com Marcelo Alexandre na 56ª e Rogério Clementino na 58ª, o que representou a melhor participação do Brasil em Jogos Mundiais até hoje na disputa individual da modalidade.

No Salto, o Brasil terminou a disputa por equipes no 4º posto, mesma colocação final de Rodrigo Pessoa, melhor colocado brasileiro na competição individual. Com o resultado, a equipe brasileira garante sua participação nas Olimpíadas de 2012 em Londres.

2014 - Normandia - França

Em Rédeas, 16 países foram representados por times (equipe completa) e nove países fizeram as competições só no individual. As disputas da modalidade Rédeas acabaram no dia 30 de agosto. O time brasileiro terminou em 7º lugar por equipes e em 13° lugar no individual. “Fizemos uma boa participação e evoluímos em relação à última participação, colocando dois cavalos na final individual. Disputamos com os melhores do mundo e conseguimos representar bem o Brasil. Já estamos com o foco voltado para a próxima edição. Sabemos do potencial do Brasil e queremos estar melhores para daqui a quatro anos no Canadá”, comentou Francisco Moura, presidente da ANCR, associação que regulamenta a modalidade no Brasil.



Fonte: http://www.abqm.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3407:participacao-do-brasil-no-weg-2014&catid=18:noticias&Itemid=34


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *