Equinos App

1 2 3 4 5

Raça: Ponei

Ponei

PADRÃO RACIAL DO PÔNEI BRASILEIRO 

O Pônei Brasileiro é um cavalo destinado à iniciação de crianças na equitação podendo ser usado também em tração leve. É um eqüino eumétrico, ágil, de bom temperamento para o serviço, dócil, com proporções equilibradas entre a altura da cernelha e o comprimento do corpo. Frente altiva e leve, bem aprumado e com angulações de membros que favoreçam uma boa liberdade de movimentos ao passo, ao trote e ao galope. 


I-APARÊNCIA GERAL - PORTE 
Pequeno 
Altura máxima aos 36 meses para Machos: 1,00 m 
Altura máxima aos 36 meses para Fêmeas: 1,10 m 
Altura ideal para raça: 0,90 m 
2. Forma: Estrutura e musculatura fortes e proporcionais. 
3. Qualidade: Ossos secos e fortes, tendões e articulações secos e bem definidos. 
4. Temperamento: Ativo e dócil. 
5. Pelagem: Todas as pelagens e suas variedades. 

II - CABEÇA 

1. Forma: Triangular. 
2. Orelhas: Pequenas, móveis, paralelas, bem implantadas e dirigidas para o alto. 
3. Fronte: Ampla e plana. 
4. Perfil: Retilíneo ou levemente côncavilíneo no chanfro, sem preferência por um ou outro. 
5. Ganachas: Bem definidas e afastadas. 
6. Olhos: Vivos, afastados e expressivos. 
7. Narinas: Delicadas, amplas e flexíveis. 
8. Boca: Com lábios justapostos, firmes e flexíveis. 

III - PESCOÇO 

- De comprimento e musculatura proporcionais, mostrando leveza, preferencialmente rodado, de inserção bem definida, sendo a do tronco no terço superior do peito. Crinas fartas e sedosas. 

IV - TRONCO 

1. Cernelha: Definida e bem musculada, proporcionando boa direção à borda dorsal do pescoço, preferencialmente de altura igual ou superior à da garupa. 
2. Peito: Profundo, largo e musculoso. 
3. Tórax: Com costelas longas e arqueadas, proporcionando boa amplitude e profundidade torácicas equivalendo à distância do esterno ao solo. 
4. Dorso: Curto e reto. 
5. Lombo: Curto, reto e de musculatura forte. 
6. Ancas: Simétricas, afastadas, proporcionais e musculadas. 
7. Garupa: Proporcional, de forma arredondada, musculatura forte, harmoniosamente ligada ao lombo. 
8. Cauda: Harmoniosamente bem implantada com cerdas sedosas e abundantes. 
9. Órgãos Genitais: De aparência perfeita. 

V - MEMBROS 

1. Espáduas: Longas, oblíquas e musculadas. 
2. Braços: Proporcionais, oblíquos e musculosos. 
3. Antebraços: De comprimento médio e musculatura bem definida. 
4. Joelhos: largos, bem suportados e na mesma vertical do antebraço. 
5. Coxas: Musculosas e bem articuladas. 
6. Pernas: De comprimento médio e musculatura bem definida. 
7. Jarretes: Secos, lisos, firmes e bem aprumados. 
8. Canelas: Curtas, secas e bem aprumadas, com tendões fortes e definidos. 
9. Boletos: Arredondados, definidos e bem articulados. 
10. Quartelas: Proporcionais, oblíquas e fortes. 
11. Cascos: Arredondados, sólidos, íntegros, com sola côncava e ranilha elástica. 

VI - ANDAMENTO 

- Trote bem articulado, em todas as suas modalidades, de preferência o de ação reta, regular, firme, com reações suaves e admitindo-se a marcha. 

VII - DESCLASSIFICAÇÕES 

1. Pele: Albinóide (gázeo). 
2. Olhos: Deficiência de pigmentação da íris (albinoidismo). 
3. Temperamento: Vícios e taras considerados graves e transmissíveis. 
4. Orelhas: Mal implantadas (acabanadas). 
5. Perfil: Convexilíneo. 
6. Boca: Relaxamento das comissuras labiais (belfo). 
Arcadas dentárias assimétricas - Prognatismo Superior: Acima de 1/2 mesa dentária.. 
- Prognatismo Inferior: Em qualquer grau. 
7. Pescoço: Cangado ou invertido. 
8. Dorso-lombo: 
- Concavilíneo (lordose ou selado) 
- Convexilíneo (cifose ou dorso de carpa) 
- Desvio lateral da coluna vertebral (escoliose). 
9. Garupa: De altura superior a da cernelha, acima de 02 cm (menso). 
10. Membros: Taras ósseas congênitas, hereditárias e defeitos graves de aprumos. 
11. Sistema genital: 
- Criptorquidismo uni ou bilateral (roncolho). 
- Anorquidismo (ausência de testículos). 
- Assimetria acentuada dos testículos. 
- Anomalias congênitas do sistema genital das fêmeas. 
12. Andamento: Andadura. 
(Aprovado pelo Conselho Deliberativo Técnico em reunião do dia 12/04/2004, conforme previsto no Regulamento do Registro Genealógico). 


PADRÃO DA RAÇA PIQUIRA

INTRODUÇÃO 


O Piquira é um cavalo marchador para iniciação à equitação de crianças podendo ser equitado também por adultos e usado na função de tração leve. Versátil, o Piquira pode ser utilizado em todas as modalidades hípicas, como o salto, as provas funcionais, cavalgadas e concursos de marcha. É um cavalo eumétrico, ágil, de bom temperamento, dócil, com proporções equilibradas entre a altura da cernelha e comprimento do corpo, altivo e de frente leve, com angulações dos membros que favoreçam uma boa liberdade de movimentos ao passo, em marcha e ao galope. 

I - APARÊNCIA GERAL 

1. Porte: 
Pequeno 
Altura máxima aos 36 meses para Machos: 1,30 m. 
Altura máxima aos 36 meses para Fêmeas: 1,28 m. 
Altura mínima: 1,15 m. 
Altura ideal: Machos: 1,22 m /Fêmeas: 1,20 m. 
2. Forma: Aparência leve, linhas harmoniosas, estrutura e musculatura proporcionais. 
3. Qualidade: Ossatura seca e proporcional, pele fina, pelos finos e sedosos. 
4. Temperamento: Ativo e sobretudo dócil. 
5. Pelagem: Todas as pelagens e suas variedades. 

II - CABEÇA 

1. Forma: Triangular, seca e proporcional. 
2. Orelhas: Pequenas, móveis, paralelas, bem implantadas e dirigidas para o alto. 
3. Fronte: Larga e plana. 
4. Perfil: Retilíneo, admitindo-se o ligeiramente concavilíneo ou convexilíneo. 
5. Ganachas: Definidas e afastadas. 
6. Olhos: Afastados, expressivos, vivos, com pálpebras finas. 
7. Narinas: Amplas e flexíveis. 
8. Boca: De abertura média, lábios finos, justapostos e firmes.. 

III - PESCOÇO 

- De forma piramidal, comprimento e musculatura proporcionais, com inserção harmoniosa no tronco, no terço superior do peito. 
- De direção oblíqua e aparência leve, admitindo-se, nos machos adultos, ligeira convexidade na borda dorsal, crinas finas e sedosas. 

IV - TRONCO 

1. Cernelha: Bem definida, longa, musculosa, proporcionando uma boa direção à borda dorsal do pescoço. 
2. Peito: De musculatura proporcional, profundo, amplo, e não saliente. 
3. Tórax: Com costelas longas, arqueadas, proporcionando boa amplitude e profundidade torácicas equivalendo à distância do esterno ao solo. 
4. Dorso: De comprimento médio, reto, bem ligado e com boa cobertura muscular. 
5. Lombo: Curto, reto, largo, com boa cobertura muscular e bem ligado ao dorso e à garupa. 
6. Ancas: Afastadas, simétricas e musculadas. 
7. Garupa: De altura igual ou inferior à da cernelha, longa, com musculatura proporcional, ligada harmoniosamente ao lombo e suavemente inclinada. 
8. Cauda: De inserção média, bem implantada com cerdas finas e sedosas. 
9. Órgãos Genitais: De aparência perfeita. 

V - MEMBROS 

1. Espáduas: Longas, oblíquas, definidas, largas e musculadas. 
2. Braços: Médios, oblíquos, musculosos e bem articulados. 
3. Ante-braços: Longos, com direção vertical e de musculatura bem definida. 
4. Joelhos: Largos, retos, secos, bem articulados e na mesma direção do ante-braço. 
5. Coxas: Musculosas e bem inseridas. 
6. Pernas: Fortes, longas, aprumadas, bem articuladas e com musculatura bem definida. 
7. Jarretes: Secos, firmes, lisos, bem articulados e aprumados. 
8. Canelas: Retas, secas, curtas, verticais, com tendões fortes e bem delineados. 
9. Boletos: Arredondados, definidos e bem articulados. 
10. Quartelas: Médias, oblíquas e fortes. 
11. Cascos: Arredondados, sólidos, íntegros, sola côncava e ranilha elástica. 

VI - ANDAMENTO 

- Marcha batida ou picada, bem articulada e cômoda, equilibrada, de bom rendimento, regular e com bom estilo. 

VII - DESCLASSIFICAÇÕES 

1. Despigmentação: 
a) Pele: 
b) Íris: Despigmentada. 
2. Temperamento: Vícios e taras considerados graves e transmissíveis. 
3. Orelhas: Mal implantadas (acabanadas). 
4. Perfil: Convexilíneo ou concavilíneo. 
5. Boca: Relaxamento das comissuras labiais (belfo). 
Arcadas dentárias assimétricas - Prognatismo Superior: Acima de 1/2 mesa dentária.. 
- Prognatismo Inferior: Em qualquer grau. 
6. Pescoço: Cangado ou excessivamente rodado. 
7. Dorso-lombo:  
- Concavelilíneio (lordose ou selado) 
- Convexilíneo (cifose ou dorso de carpa) 
- Desvio lateral da coluna vertebral (escoliose). 
9. Garupa: De altura superior à cernelha, acima de 02 cm (menso). 
10. Membros: Defeitos graves de aprumos. 
11. Sistema genital: - Criptorquidismo uni ou bilateral (roncolho). 
- Anorquidismo (ausência de testículos). 
- Assimetria acentuada dos testículos. 
- Anomalias congênitas do sistema genital das fêmeas. 
12. Andamento: - Trote 
- Andadura 
(Aprovado pelo Conselho Deliberativo Técnico em reunião de 12/04/2004, conforme previsto no

PADRÃO DO CAVALO PÔNEI DA RAÇA WELSH PONY 

SEÇÃO A 

APARÊNCIA GERAL
Compacta, forte e vivaz
ALTURA
máxima: 1,22 m
PELAGEM
São aceitas todas as pelagens exceto as Apalusas e Pampas.
CABEÇA
1. Forma: Sêca, pequena, nobre e bem delineada, afilando-se em direção ao focinho (triangular) e bem inserida ao pescoço. Região de garganta limpa e ampla devido às Ganachas que vêm se alargando em sua direção.
2. Orelhas: Devem ser bem implantadas, pequenas e direcionadas para cima.
3. Narinas: Grandes e flexíveis.
4. Olhos: Vivos e destacados..


PESCOÇO - Longo, bem direcionado e delicado nas fêmeas mas com ligeira convexidade na borda dorsal nos garanhões maduros. Cerdas fartas e sedosas.
TRONCO -  Bem arqueado e profundo. Região Dorso-Lombar de boa sustentação e fortemente musculada.
GARUPA - De boa conformação, suavemente inclinada, proporcional com ancas simétricas.
CAUDA - Harmoniosamente inserida à Garupa com cerdas fartas e sedosas.
MEMBROS 
ANTERIORES - Espáduas longas, oblíquas e fortes sendo os braços bem direcionados, proporcionando uma região de codilhos livre em relação ao arco costal. Antebraços longos e verticais; joelhos desenvolvidos e canelas curtas e fortes com bons tendões. Boletos arredondados e bem constituídos. Quartelas bem sustentadas, proporcionais e de angulação igual a das espáduas.
POSTERIORES - Coxas bem musculadas, pernas fortes, jarretes largos com ótima qualidade ósteo-tendinosa, firmes e posicionados no mesmo alinhamento dos ísquios. Canelas verticais, fortes e com bons tendões. Quartelas bem sustentadas, proporcionais e na mesma angulação da coxa. Cascos sólidos e íntegros.

AÇÃO
Welsh Pony é ágil, com a movimentação livre e eficiente dos membros dianteiros e seus jarretes flexionam bem, isentos de torções ou desequilíbrio, alavancando embaixo da massa corporal e proporcionando uma excelente dinâmica, rápida e progressiva.


DESCLASSIFICAÇÕES

1. Pele: Pseudo-albino (gázeo).
2. Olhos: Deficiência de pigmentação da íris (albinoidismo).
3. Temperamento: Vícios e taras considerados graves e transmissíveis.
4. Orelhas: Mal implantadas (acabanadas).
5. Perfil: Convexilíneo.
6. Boca: Relaxamento das comissuras labiais (belfo).
Assimetria das arcadas dentárias (prognatismo).
7. Pescoço: Cangado ou invertido.
8. Dorso-lombo:
- Concavexilíneo (lordose ou selado)
- Convexilíneo (difose ou dorso de carpa)
- Desvio lateral da coluna vertebral (escoliose).
9. Garupa: De altura superior a da cernelha (menso), tolerando-se uma diferença de até 02 cm.
10. Membros: Taras ósseas congênitas, hereditárias e defeitos graves de aprumos.
11. Aparelho genital:
- Criptorquidismo uni ou bilateral (roncolho).
- Anorquidia (ausência de testículos).
- Assimetria acentuada dos testículos.
- Anomalias congênitas do aparelho genital das fêmeas.
12. Andamento: Andadura.


PADRÃO RACIAL DO PÔNEI FJORD

INTRODUÇÃO 


O Pônei Fjord norueguês é um dos cavalos mais antigos mundo e de maior pureza racial. Acredita – se que os cavalos Fjord migraram para a Noruega e foram domesticados, há 4000 anos. São eqüinos rústicos, de fácil adaptação a quaisquer topografias e climas. Há evidências arqueológicas de que vêm sendo selecionados como raça há quase 2000 anos.

APARÊNCIA GERAL 

O Pônei Fjord apresenta beleza, temperamento dócil e ativo, possante estrutura corporal que habilita a raça a ser utilizada para todas as modalidades de equitação, tração e adestramento.São cavalos dispostos para o trabalho e solícitos sendo, desta forma, facilmente treináveis. Os Fjord adultos variam em altura entre 1,37 a 1,47 mt e peso oscilando entre 400 e 500 kg, existindo muito poucos indivíduos fora destas medidas.

PELAGEM 

A pelagem predominante é Baia ordinária podendo variar em tons desde o mais escuro até o mais claro. Raramente encontram-se Lobunos ou Amarilhos. As crinas são eretas, com pêlos Baios nas laterais e pretos no centro. Tradicionalmente as mais comuns e desejáveis marcações na pelagem são:

1 – Marcações Primitivas:Pequenas marcas marrons acima dos olhos e nas coxas.
§ Zebruras nos membros, especialmente nos dianteiros.
§ Muito raramente podem apresentar faixa crucial.
2 – Orelhas com as pontas escuras.
3 – Região intermédia do topete, crina e calda mais escura.
4 – Listra de burro.
5 – Algum encaracolamento nos pêlos das pernas, não muito acentuado.
6 – Cascos escuros nos animais baios e cor âmbar nos amarilhos, algumas mesclas podem ocorrer.
7 – Uma pequena estrela é aceitável.

CONFORMAÇÃO 

Cabeça: de tamanho médio, seca, com fronte larga, focinho largo com narinas amplas e flexíveis, com perfil retilíneo ou ligeiramente côncavo, ganachas bem definidas e afastadas.
Olhos: Grandes, redondos, expressivos e bem destacados na cabeça.
Orelhas: Pequenas, móveis e bem implantadas.
Nuca: Deve possuir comprimento suficiente para permitir uma adequada flexão.
Garganta: Ampla, profunda e refinada.
Pescoço: Deve ser flexível, arqueando –se com naturalidade. Aparenta-se um tanto pesado, mas bem oblíquo e proporcional, com inserções bastante suaves no peito e na cernelha.
Espáduas: Bem musculadas, longas e com boa angulação de modo a formar com o pescoço um conjunto bem balanceado e funcional.
Cernelha: Moderadamente definida e longa.
Peito: Amplo, musculoso e proporcional.
Cilhadouro: Profundo com amplo arqueamento, propiciando excelente capacidade circulatória e respiratória.
Dorso-Lombo: Bem musculado e largo, de comprimento médio, harmoniosamente ligado à garupa.
Garupa: O desenho da garupa pode variar, mas é importante que esteja em harmonia com as ancas e o dorso-lombo.
Ancas: Amplas e bem cobertas.
Coxas e Pernas: Fortes e bem musculadas.
Jarretes: Bem desenvolvidos, possantes e bem angulados.
Braços: Longos, oblíquos e bem musculados.
Ante-Braços: Longos e verticais.
Joelhos: Largos, chatos e na mesma vertical dos antebraços e canelas.
Canelas: Curtas e com boa qualidade ósteo-tendinosa.
Boletos: Arredondados e íntegros.
Quartelas: De comprimento médio, oblíquas, proporcionando boa flexão e suporte.
Cascos: Fortes, arredondados e de bom tamanho.

MOVIMENTAÇÃO 

A maneira de andar do Pônei Fjord é retilínea, equilibrada e avante. Seus andamentos são balanceados com uma cadência regular, passadas amplas onde os membros posteriores cobrem os rastros dos anteriores, a passo e ao trote.

§ Passo: Deve ser enérgico, eficiente e em quatro tempos bem compassados.
§ Trote: Com perfeita sincronização na troca dos apoios diagonais, passadas poderosas e ação veloz.
§ Meio – Galope: deve ser equilibrado, livre e com movimentos avantes.

DESCLASSIFICAÇÕES 

1. Pele: Albinóide (gázeo).
2. Olhos: Deficiência de pigmentação da íris (albinoidismo).
3. Temperamento: Vícios e taras considerados graves e transmissíveis.
4. Orelhas: Mal implantadas (acabanadas).
5. Perfil: Extremamente convexilíneo.
6. Boca: Relaxamento das comissuras labiais (belfo).
Arcadas dentárias assimétricas - Prognatismo Superior: Acima de 1/2 mesa dentária..
- Prognatismo Inferior: Em qualquer grau.
7. Pescoço: Cangado ou invertido.
8. Dorso-lombo:
- Concavilíneo (lordose ou selado)
- Convexilíneo (cifose ou dorso de carpa)
- Desvio lateral da coluna vertebral (escoliose).
9. Garupa: De altura superior a da cernelha, acima de 02 cm (menso).
10. Membros: Taras ósseas congênitas, hereditárias e defeitos graves de aprumos.
11. Sistema genital:
- Criptorquidismo uni ou bilateral (roncolho).
- Anorquidismo (ausência de testículos).
- Assimetria acentuada dos testículos.
- Anomalias congênitas do sistema genital das fêmeas.
12. Andamento: Andadura.

CARACTERÍSTICAS ÉTNICAS RECOMENDADAS PELA ASSOCIAÇÃO

MUNDIAL DE CRIADORES DE HAFLINGER 


INSBRUCK/ TIROL - AUSTRIA 

PORTE 

ALTURA MACHOS IDEAL - 1.42 A 1.50
ALTURA FÊMEAS IDEAL  - 1.38 A 1.48

FORMA E QUALIDADE 
Linhas harmoniosas, musculatura proporcional, membros fortes, bem musculados, articulações bem delineadas e visto de lado, o corpo deve apresentar uma forma retangular.

TEMPERAMENTO 
Ativo, dócil e caráter excelente.

PELAGEM 
Alazã uniforme, indo do bege claro (café com leite claro), até o avermelhado, com crinas e caudas cheias compridas e de coloração quase branca.

CABEÇA 
Proporcional, nobre, seca, orelhas pequenas e bem implantadas, olhos grandes, escuros e vivos, narinas grandes e flexíveis, ganachas fortes e afastadas, expressão de masculinidade nos machos e feminilidade nas fêmeas.

PESCOÇO 
De comprimento proporcional, forte, bem inserido à cabeça, convexilíneo na borda dorsal( mais acentuado nos machos), retilíneo na borda ventral e com ligações alta com o tronco. Crinas compridas, cheias e de coloração quase branca.

TRONCO 
CERNELHA- Bem definida, longa e harmoniosamente ligada ao pescoço e ao dorso.
PEITO- Amplo e profundo.
COSTELAS - Longas, bem arqueada e com boa amplitude torácica.
DORSO-LOMBO- Dorso de comprimento médio, reto, bem ligado e com boa cobertura muscular.- Lombo curto, reto, largo e bem ligado ao dorso e à garupa.
GARUPA- Ligeiramente inclinada, comprida, musculosa, evitando-se dentro do possível, a dividida ou garupa dupla.
CAUDA- De inserção média, com cerdas compridas, cheias e de coloração quase branca.
APARELHO GENITAL- De aparência perfeita.

MEMBROS 
ESPÁDUAS - Inclinadas, compridas e musculosas.
BRAÇOS- Médios, oblíquos e musculosos.
ANTE-BRAÇOS - Verticais, compridos e articulações definidas, joelhos secos, largos e articulados
COXAS- Bem musculosa.
PERNAS- Compridas, fortes e bem articuladas.
JARRETES- Largos, fortes e bem aprumados.
CANELAS- Secas, fortes e tendões bem delineados.
BOLETOS- Largos, fortes e bem articulados.
QUARTELAS- Oblíquas, bem aprumadas, cascos escuros e de boa consistência.
ANDAMENTO- Trote elástico, firme, alongado com boa regularidade, conforto, segurança e rendimento.

CARACTERÍSTICAS INDESEJÁVEIS 
PELAGEM - Qualquer pelagem fora das variedades alazã mencionadas, manchadas, ausência de sinais brancos de cabeça, albinóide, crinas e cauda de coloração escuras.
PROGNATISMO - Superior ou inferior.
TEMPERAMENTO - Qualquer vício ligado a índole.
PESCOÇO- Cangado ou de cervo e de inserção baixa junto ao tronco.
DORSO-LOMBO- Cifose, lordose e escoliose.
MEMBROS - Desvios acentuados de aprumos.
APARELHO GENITAL -. Cripotorquidismo mono ou bilateral, anorquidia, assimetria testículos, anomalias congênitas do aparelho genital da fêmea.

Fonte: http://www.ponei.org.br

Um comentário:


  1. Olá, boa noite.
    Gostaria de saber com que idade os testículos do pônei ficam visíveis. É que compramos um macho com intenção de ser reprodutor. O vendedor disse que os testículos iam aparecer por volta de 2 anos, mas achamos isso meio estranho. O vendedor está certo ou nossa desconfiança faz sentido?
    Agradeço antecipadamente pela atenção.
    Luiz Fernando.

    ResponderExcluir

Twitter

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *