Equinos App

1 2 3 4 5

Raça: Pantaneiro

Pantaneiro



HISTÓRICO

O primeiro estudo sobre a raça pantaneira foi feito em abril de 1957 por Otávio Domingos que publicou um trabalho com o título “Contribuição ao estudo do Cavalo Pantaneiro”.

O segundo estudo foi realizado em setembro de 1969, por uma nova comissão formada pelos seguintes técnicos, Prof. Luiz Rodrigues Fontes, Dr. Pedro Gouveia, Dr. Renato Gouveia Leoni e Dr. Edson de Souza Baleiro.

De acordo com a realização dos estudos sobre a raça por hora mencionada chegou a conclusão de que havia necessidade de implantação de um projeto para compra e criação de um lote de 100 eqüinos Pantaneiros, visando sua preservação e seu melhoramento Zootécnico, de modo continuo e progressivo e ao mesmo tempo a fundação da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Pantaneiro de Mato Grosso.

O projeto seria desenvolvido no Estado de Mato Grosso mais principalmente na chamada região do pantanal compreendendo os municípios de Poconé, Santo Antonio de Leverger; Cáceres; Nossa Senhora de Livramento, etc.

Com a aquisição de um lote de 100 eqüinos, contendo 92 fêmeas e 08 machos deu-se o primeiro passo para excussão do projeto, que teriam os seguintes objetivos:

1. Criar e manter um Núcleo inicial de 100 animais e distribuir em planteis.

2. Partindo daí manter estudos, e executar um fomento através de um programa de seleção, no sentido de melhorar o cavalo em suas características, altura, comprimento e resistência;

3. Vender reprodutores melhorados aos fazendeiros;

4. Como medida paralela motivar a fundação da Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Pantaneiro.

Precisamente às 10 horas do dia 29 de abril do ano de 1972 na Sociedade Recreativa Poconeana da Cidade de Poconé, estado de Mato Grosso, foi fundada a ABCCP (Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Pantaneiro) com a presença do Secretario da Agricultura do Estado de Mato Grosso Dr. Paulo Coelho Machado.

Em julho de 1972 na cidade de Campo Grande no Estado de Mato Grosso do Sul foi realizada a VII Exposição Nacional de Eqüídeos e Concursos Diversos, registrando-se nesta ocasião os primeiros Animais da Raça Pantaneira. O primeiro Garanhão registrado foi o animal com o nome de “Rei do Paiol” de propriedade do Sr. Joaquim da Cunha Fontes, o segundo Garanhão registrado foi o animal com nome de “Pirilampo do São Rafael” de propriedade do Sr. Luiz Carlos e Fernando C.R. A.

E as primeiras fêmeas registradas foram Mulata da Ponce de Arruda Gaúcha da Ponce de Arruda e Marreca da Ponce de Arruda.

Desde os estudos iniciais ate os nossos dias de hoje esta raça de animais fortes e de porte médio, esperto e porque não dizer inteligentes, vem sendo defendida e cultivada. E hoje em pleno funcionamento a Associação Brasileira dos Criadores de Cavalo Pantaneiro tem orgulho de mostrar aos Senhores Criadores um eqüino que não tem medo de sol causticante, do barro pegajoso, do coricho cheio d’água, para levar em seu dorso um peão valente tanto quanto ele, e que dele depende para trabalhar seu gado.

I - APARÊNCIA GERAL

1-   Pelagem: qualquer uma, exceto a Albina;
2-   Altura: mínima de 1,40m para machos, e mínimo de 1,35m para fêmeas;
3-   Forma: porte médio, com linhas harmoniosas, leves em sua aparência gerais e com musculatura bem distribuída.
4-   Constituição: robusta e sadia, ossos resistentes, articulações e tendões bem definidos, sem taras;
5-   Temperamento: vivo, altivo e dócil.

II – CABEÇA E PESCOÇO

1-   Cabeça proporcional ao pescoço, com fronte ampla e plana, com inserção firme, e com angulação de 90 graus entre o seu bordo inferior e o do pescoço.
2-   Perfil: retilíneo na região frontal e do retilíneo ao ligeiramente convexo na região do chanfro;
3-   Olhos: afastados lateralmente, grandes, expressivos, vivos, pretos e com pálpebras finas;
4-   Orelhas: com tamanho pequeno a médio, bem implantadas e móveis;
5-   Narinas: amplas, finas e elásticas;
6-   Boca: medianamente rasgada, lábios finos, iguais, justapostos, móveis e firmes;
7-   Pescoço: proporcional e harmoniosamente ligado à cabeça, oblíquo e de bordos retilíneos, com anulação de 45 graus entre seu bordo inferior e a horizontal, com inserção ao tronco proporcional ao comprimento da garupa, com crineira estreita e com pêlos sedosos.

III - TRONCO

1-   Tronco longo (com comprimento do corpo maior que duas vezes e meia o comprimento da cabeça), de seção transversal elíptica ao nível da cernelha e cilhadouro.
2-   Tórax amplo, profundo, com as distancias entre o ponto médio da cernelha até o centro da articulação escapulo-umeral e da cernelha ao cilhadouro maiores que o comprimento da cabeça.
3-   Cernelha bem definida, saliente e bem implantada.
4-   Peito largo, profundo e não saliente;
5-   Costelas longas, oblíquas e arqueadas;
6 -  Dorso e lombo médios, musculosos, horizontais; flancos profundos, cheios e arredondados.
7-   Garupa musculosa, bem ligada ao lombo, de comprimento médio e ligeiramente inclinada.
8-   Cauda de inserção mediana, bem implantadas, com sabugo curto e firme, com crinas finas e sedosas, mantendo-se preferencialmente retesada quando em movimento
9-   Genitais perfeitos, vulva vertical, e testículos bem desenvolvidos (largura escrotal total mínima de 90mm em animais de três anos de idade).

IV - MEMBROS

1-   Espádua longa, cheia, e obliqua, com inclinação entre 53 e 58 grau.
2-   Braço e antebraço médios e musculosos.
3-   Joelhos médios, retos em sua face cranial, chatos e bem suportados.
4-   Coxas cheias e musculosas, pernas longas, fortes e bem aprumadas.
5-   Jarretes secos, limpos e bem aprumados;
6-   Canelas médias, secas, aprumadas, com tendões fortes e bem delineados.
7-   Boletos médios, proporcionalmente largos, bem definidos e suportados.
8-   Quartelas médias, oblíquas e bem orientadas.
9-   Cascos pequenos a médios, sólidos, duros, preferencialmente pretos, com sola côncava e ranilha elástica.
10-   Membros em conjunto bem aprumados, musculosos, com ossatura e tendões fortes.

V – ANDAMENTO

1-   Trote em todas as suas modalidades, sem movimentos parasitas.


VI – DESCLASSIFICAÇÕES

1-   Pelagem Albina e despigmentação das genitais;
2-   Olhos albinóides ou com esclerótica aparente;
3-   Temperamento agressivo ou com vícios considerado graves e transmissíveis.
4-   Cabeça com perfil côncavo ou excessivamente convexo, belfo, orelhas cabanas.
5-   Pescoço cangado, de cervo, invertido ou rodado.
6-   Membros com defeitos graves de aprumos e taras consideradas prejudiciais;
7-   Garupa com altura superior a 3cm em relação à altura da cernelha.
8-   Andamento em andadura e marcha de qualquer tipo;
9-   Defeitos parciais ou totais dos órgãos genitais;

Fonte e imagem: http://www.abccp.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *