Equinos App

1 2 3 4 5

Atrelagem

Atrelagem

A Atrelagem pode ser entendida como uma versão moderna das icônicas corridas de bigas, tão retratadas em filmes sobre o Império Romano. No início as competições de carruagens puxadas por dois ou quatro cavalos (bigas e quádrigas, respectivamente) eram a atração que precedia a entrada dos gladiadores nas arenas circenses. Após a Idade Média, o esporte ganhou outros contornos: praticado pelos nobres, era símbolo de status e refinamento. A atrelagem atual alia a adrenalina das arenas romanas à elegância da nobreza europeia.

As competições

O Concurso Completo de Atrelagem é a prova mais difundida da modalidade, podendo ser entendida como uma espécie de “triatlon” que objetiva demonstrar a versatilidade do condutor e cavalo. A categoria foi oficializada pela Federação Equestre Internacional (FEI) em 1970.

O Concurso Completo é composto por três etapas: Adestramento, Maratona e Maneabilidade. Na apresentação de Adestramento são avaliadas não apenas a capacidade do animal em controlar o veículo, seu passo e trote, como também a qualidade da carruagem e das roupas vestidas pelo condutor e seus passageiros. A beleza e a similaridade entre os cavalos estão entre os outros critérios de julgamento.

A segunda e mais importante atividade é a maratona. Cavalo e condutor testam suas habilidades em um percurso de 10 a 27 quilômetros através de terrenos difíceis. Esta etapa é composta por inúmeros desvios abruptos e passagens estreitas, como pontes, sempre sob a contagem de um cronômetro. Na prova de maratona, o condutor leva um auxiliar que funciona como contra peso nas curvas mais fortes.

Por fim, há o teste de maneabilidade, que equivale à uma competição de salto para a carruagem. No lugar de obstáculos, são utilizados cones. Sobre cada cone é colocada uma esfera que, caso o animal ou a carruagem esbarrem, cairá, descontando pontos do competidor.

Peculiaridades

A atrelagem exige do condutor capacidades específicas. Para comandar o cavalo e fazê-lo guiar a carruagem à perfeição é preciso, acima de tudo, um bom comando de voz e também o uso do chicote. Por sua vez, os cavalos devem possuir determinadas características para obter sucesso nas provas: serem fortes, de porte elevado e andamentos progressivos e alongados, apresentando boa suspensão no trote, tendo em vista que esta andadura é a mais exigida dentro da modalidade.

O Concurso Completo de Atrelagem faz parte dos Jogos Equestres Mundiais. Os maiores vencedores da competição são a Holanda, França, a Alemanha e a Hungria. Dentre as raças mais utilizadas estão, o Oldenburg, Morgan, Puro Sangue Lusitano e outras raças de origem europeia.

No Brasil, utiliza-se principalmente o Bretão, o Clydesdale, Haflingers e o Lusitano. Segundo a FEI, a prova pode ser também praticada com pôneis.


No Brasil

Em nosso país, foi fundada em 17 de dezembro de 2009 a ABRAT – Associação Brasileira de Atrelagem. A partir desta data, a Entidade conta com apoio da CBH e faz parte do calendário hípico brasileiro. As primeiras competições de atrelagem no Brasil, devem começar à partir de agosto de 2010.

Atrelagem Adaptada

Esta categoria surgiu das dificuldades encontradas na prática de Equoterapia por pacientes que apresentavam limitações que impossibilitavam montar no cavalo, tais como sobrepeso e insegurança excessiva.

Através da Atrelagem adaptada, estes pacientes acompanham o condutor da carruagem e assim  conseguem estabelecer um vínculo com o animal e experimentar novas sensações.


Resgatando o Passado

As carruagens desta modalidade são verdadeiras réplicas de modelos antigos. Embora feitas com alta tecnologia, seu desenho e estrutura respeitam as limitações que existiam no passado: as rodas, por exemplo, não possuem pneus.

A tração pode ser realizada por um (single), dois (pair), quatro (four-in-hand) ou mais cavalos (team). Os maiores torneios geralmente são realizados com quatro animais.

Fonte: http://www.mundoequestre.com.br/atrelagem/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *